3.5 Como protestar durante as crises

Como a pandemia COVID-19 afectou os jovens e os activistas? E como pode organizar ac√ß√Ķes eficientes durante as crises?¬†¬†

Neste v√≠deo,¬†Ad√©la√Įde Charlier¬†e¬†Jada Kennedy, representantes do¬†Youth for Climate Movement Belgium, d√£o algumas respostas.¬†¬†

Este vídeo está atualmente em inglês, encontre a transcrição aqui:

‚ÄúVou explicar um pouco como a crise do COVID-19 afectou os jovens e os activistas. Em primeiro lugar, precisa saber que por tr√°s de cada activista existe um jovem normal que vive situa√ß√Ķes da vida real como a escola. Neste momento, muitos de n√≥s temos exames, mas conseguimos manter-nos activos nesses tempos dif√≠ceis. Mas tamb√©m era importante esperar o tempo necess√°rio para resolver a pandemia de COVID-19, porque √© uma crise de sa√ļde p√ļblica e cada crise deve ser tratada duma forma espec√≠fica. Constru√≠mos movimentos com a nossa pr√≥pria organiza√ß√£o, Youth for Climate Belgium, mas tamb√©m a n√≠vel internacional com Fridays for Future, e organiz√°mos um encontro online para pressionar Frans Timmermans para uma mudan√ßa na agricultura europeia. Tamb√©m organizamos os nossos webinars semanais, para ficar em contacto com especialistas mas tamb√©m para as pessoas divulgarem, pois esse √© o nosso principal objetivo no Youth for Climate.¬†

Tamb√©m fizemos greves digitais, atrav√©s do Zoom, com a nossa hashtag #ClimateStrikeOnline e ac√ß√Ķes de solidariedade com as enfermeiras em frente dos hospitais. Tamb√©m apoiamos o movimento Black Lives Matter porque n√£o h√° justi√ßa clim√°tica sem justi√ßa social.¬†

√Č interessante ter dito que n√£o queremos voltar ao normal, o que inclui tamb√©m os jovens que andam muito na rua. Ent√£o, como v√™ as pr√≥ximas semanas, talvez meses? Como colocar press√£o a n√≠vel pol√≠tico, seja ao n√≠vel nacional ou europeu? Obviamente, temos que ser muito criativos porque queremos respeitar as regras sanit√°rias. Hoje, n√£o faz sentido convocar uma mobiliza√ß√£o massiva de milhares de jovens nas ruas. Simplesmente n√£o seria inteligente e n√£o √© nossa forma de pensar. Mas ainda queremos estar presentes. Ainda queremos que as nossas vozes sejam ouvidas a esse n√≠vel. E para isso temos que ser criativos. Estamos a preparar ac√ß√Ķes que ser√£o mais f√≠sicas do que durante o confinamento : s√≥ conseguimos fazer algo atrav√©s das redes sociais, o que √© bastante dif√≠cil porque acredito que normalmente acaba por tocar sempre as mesmas pessoas.

Assim, se quisermos ser maiores, temos que fazer mais ac√ß√Ķes, talvez mais f√≠sicas, e tentar faz√™-lo agora que todo o mundo esta focado na pandemia de COVID-19. Referi-me ao exemplo da floresta amaz√≥nica e do governo que comunicou na imprensa que se concentra na gest√£o da pandemia, como se √≠amos desistir das nossas convic√ß√Ķes ecologistas durante a pandemia. Bem, isso n√£o faz sentido. Portanto, temos que garantir que a imprensa fale novamente da crise clim√°tica, porque precisamos que ela seja novamente colocada no centro do debate pol√≠tico e p√ļblico. Para isso, faremos de tudo mas provavelmente mais ac√ß√Ķes que ir√£o reunir alguns jovens na rua e n√£o mobiliza√ß√Ķes massivas‚ÄĚ.¬†